Informatização na municipalidade

Nesse mês escreverei sobre a importância da informatização nos entes públicos, tanto na esfera municipal, estadual e federal. Para todas essas esferas, nos dias de hoje, existem basicamente alguns conceitos que são premissas básicas para atender de forma satisfatória a comunidade e tornar mais eficiente a gestão de governância. Dentre esses pontos principais podemos destacar a implantação de um cadastro único multifinalitário, onde toda e qualquer pessoa deve ser cadastrada uma única vez e compartilhada de forma integrada para todas as secretarias e funções operacionalizadas de acordo com os processos internos. Vale ressaltar que esse conceito de cadastro único não abrange somente o cadastro de pessoas, mas sim toda e qualquer informação que exista necessidade de partilhar, exemplificando, o cadastro de logradouros, bairros, loteamentos, atividades, entre outros. Outra característica muito importante que deve ser aplicada é o conceito de alta disponibilidade e portabilidade. Isso significa que o ente público deve disponibilizar informações para a comunidade de diversas formas, ou seja, através de intranet, intranets, extranets, totens, entre outros. Para o caso da portabilidade, que já faz parte do nosso dia a dia, onde dispomos de smartphones e tablets, a informatização tem que dar suporte a esses dispositivos, fazendo com que toda e qualquer solicitação e consulta deve estar disponível para que o contribuinte, e para os processos internos, que possam ser gerados autos de infração e notificações diretamente do local de fiscalização, esteja o fiscal in-loco ou mesmo em sua mesa de trabalho. Concluindo, a informatização é algo que deve estar presente nos planos de governo, e não esquecendo que a tecnologia é somente um dos pilares da qualidade de serviços, assim como pessoas e processos. Neste mês pude estar presente no lançamento do projeto de informatização da Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Sul, onde este era uma ação do plano de governo da prefeita Kelly Moraes que saio do papel levando em consideração esses pontos de cadastro único, alta disponibilidade e portabilidade.

Coluna para o Jornal Cidadania de Antônio Prado - Edição Maio de 2012.